Iniciar um novo tópico
Respondido

Lei Salão Parceiro - Resolução CGSN n. 137

Em 04 de dezembro de 2017 foi publicada a Resolução CGSN n. 137 que determina a forma como as empresas enquadradas no SIMPLES NACIONAL deverão proceder com relação a emissão da NFS-e. 


Em resumo a NFS-e passa ser o modelo UNIFICADO, onde o Salão-Parceiro emite a nota no valor TOTAL do serviços, DESTACANDO a Cota-Parte do Profissional-Parceiro e realiza a DEDUÇÃO da Cota-Parte da Base de Calculo do imposto.


Informações sobre a Lei 13.352 - Salão Parceiro


Imagem/Modelo do RPS / NFS-e


image



Totais do RPS/NFS-e com a dedução dos valores das Cota-Partes dos Profissionais


image




Melhor resposta

Não, a divisão por PADRÃO é sempre pelo valor BRUTO do serviço sem dedução de custos, taxas e etc.


Porém existe um parâmetro no sistema que faz a dedução dos CUSTOS (não taxas de tipos de pagamentos) da cota-parte do profissional e inclui o valor total na cota-parte do salão, muito pouco utilizado mas disponível.


Observação: Esse novo modelo de nota UNIFICADO não muda as regras já existentes referente as formas de cálculo de rateio / cota-parte dos profissionais


Temos também o layout de impressão para impressora térmica NÃO fiscal


image


Vou precisar muito disso quando voltar a Manaus.

Boa noite,


Com esta resolução como ficará o módulo Multiempresa no Salão VIP? faz-se necessário o módulo?

Sim, é necessário o módulo Multiempresa porque sem ele não é possível criar os profissionais como empresa e se os profissionais não são configurados como empresa não é possível calcular a cota-parte dele para abater da parte do Salão

A Divisão é feita com base no valor do serviço, leva em conta tá taxas de cartão caso o salão desconte, custo de serviços e etc?
Resposta

Não, a divisão por PADRÃO é sempre pelo valor BRUTO do serviço sem dedução de custos, taxas e etc.


Porém existe um parâmetro no sistema que faz a dedução dos CUSTOS (não taxas de tipos de pagamentos) da cota-parte do profissional e inclui o valor total na cota-parte do salão, muito pouco utilizado mas disponível.


Observação: Esse novo modelo de nota UNIFICADO não muda as regras já existentes referente as formas de cálculo de rateio / cota-parte dos profissionais


1 pessoa gostou disso
Ok, a dúvida é justamente essa, se a rps será emitida com o valor bruto do profissional sem desconto de taxas de cartão e custos de serviços ou se vai seguir a parametrização do sistema e a cota-parte do profissional será o líquido dele.

O faturamento (valor base para emissão de nota) nunca foi o líquido, inclusive o sistema nem tem essa possibilidade, o único valor que o sistema pode deduzir do faturamento (valor base para emissão da nota) do profissional é o CUSTO.

Perfeito, entendido. Obrigado

Robson.. para quem é Lucro presumido ou real, não se enquadra a essa regra. Ok?

Para quem esta no Lucro Presumido ou no Lucro Real a única forma de "divisão tributária" ainda é a Divisão de Faturamento (Nota Rateada)


1 pessoa gostou disso

IMPORTANTE: Os sistemas das prefeituras não estão autorizando o envio de RPS com dedução de base de cálculo, dessa forma é importante verificar com as contabilidades qual procedimento seguir.


1 pessoa gostou disso

Robson sobre as cotas parte dos profissionais, nesse caso os profissionais tem que ter certificado digital do modelo A1 para emissão da nota fiscal neste modelo?

Caso a resposta seja negativa, por favor detalhe como será o processo?

Queria saber como vai proceder no Vip e no Hair.


Ramon Silva

Avec-Brasilia 

61991040202


Ramon a necessidade de certificado digital não esta relacionada ao modelo e sim ao sistema de envio da prefeitura, porém no caso de vocês que é Brasília não existe RPS (Recibo Provisório de Serviços), só existe o NFC-e (Nota Fiscal Consumidor Eletrônica) e para essa é obrigatório o certificado digital.


ATENÇÃO: Esse novo modelo de NFS-e (Nota Fiscal Serviço Eletrônica) como o próprio nome diz É VÁLIDO APENAS PARA NOTAS DE SERVIÇOS, ainda não temos os procedimentos para essa utilização com NFC-e, precisa verificar com a Contabilidade das empresas.

Entrar ou Cadastrar para postar um comentário